Conheça o “ Médico dos Pobres” da Vila Mariana dos anos 20.

Vila Mariana

(*)Foto Meramente Ilustrativa

Olá Pessoal!!!

Hoje a memória da Vila Mariana vai contar a história do Sr Francisco Tavares de Oliveira Filho, mais conhecido como Sr Chiquinho, o médico dos pobres da Vila Mariana.

A fonte para essa pesquisa foi o livro:    A história dos bairros de São Paulo , o bairro de Vila Mariana, do autor Pedro Domingos Masarolo. As fontes das fotos estão citadas no final do texto.

O Sr Chiquinho nasceu no bairro de Itaquera em 1875. Em 1918 formou-se na Escola Livre de Pharmacia, Odontologia e Obstetrícia, localizada no bairro do Bom Retiro.

Prédio da Escola Livre de Pharmacia, Odontologia e Obstetrícia em 1905.
Fonte: Site Memória USP.

Após a formatura, trabalhou cerca de dois anos no interior. Em 1920 veio exercer o seu ofício na farmácia do Dr Gama, localizada na Rua França Pinto.

O Sr Chiquinho era um profissional dedicado , portanto, logo a sua fama se estendeu pelo bairro. Com muito sacrifício e auxilio dos amigos, conseguiu comprar a farmácia do Dr Gama, porém a transferiu para a Rua Domingos de Morais, próximo a antiga estação de bondes da light.

Nosso ilustre farmacêutico, ficou conhecido como médico dos pobres, porque praticava o seu ofício com maestria e competência. Curava muitas pessoas,  por isso elas acreditavam que ele era médico. Cuidava dos pacientes, mesmo aqueles graves. Atendia com muita dedicação aqueles que não poderiam lhe pagar. Estava sempre disponível, independente do dia e horário.

 Era comum pessoas  virem  de outros bairros, tais como: Cambuci, Ibirapuera, Vila Clementino e Bosque da Saúde, com a crença de que só o Sr Chiquinho poderia curar-lhes.

Foto Meramente Ilustrativa

A especialidade do Sr Chiquinho era o trato com crianças. Logo cedo, em sua farmácia, mães faziam filas carregando crianças no colo, para receberem os cuidados desse farmacêutico.

O Sr Chiquinho ficou sob o comando da farmácia por cerca de 40 anos. Ele faleceu em 1961 e após a sua morte, seus filhos tocaram o negócio.

Não encontrei fotos do Sr Chiquinho e nem a localização exata de onde era a sua farmácia, para contar a vocês o que atualmente está instalado neste local. Quem souber, conta pra gente!!!

*** NÃO PERCAM o próximo conto: O Romance da Janela na Vila Mariana dos anos 50.

Para serem notificados da publicação, basta curtir a Fan Page do Blog Tem no Pedaço: https://www.facebook.com/blogtemnopedaco/

Fontes:

A história dos bairros de São Paulo , o bairro de Vila Mariana, do autor Pedro Domingos Masarolo, págs 107-108

Site: Memórias Usp. Escola Livre de Pharmacia, Odontologia e Obstetrícia . Disponível em: . Disponível em: http://200.144.182.66/memoria/por/local/820-Solar_da_Rua_Tres_Rios

Quer ver outras Curiosidades ou Memórias do Bairro, clique aqui: https://temnopedaco.com.br/category/historia-dos-bairros/

Até a próxima!!!

Beijocas apertadas

Dani.

Compartilhar

QUEBRANDO PARADIGMAS – O olhar do outro diante da pessoa com deficiência.

deficiência

  • Artigo escrito pela Dra Michelli Bertoni

De uma forma geral, se entende que uma pessoa deficiente é aquela que possui algum tipo de limitação, que pode ser física, mental, intelectual ou sensorial e que por conta disso não conseguiriam “existir” de forma plena e efetiva na sociedade como as demais pessoas.

Mas, segundo a Convenção Internacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, acredita-se que a deficiência está na sua relação com o meio em que convive e esse último podendo influenciar e impedir que a pessoa viva de forma plena, participante na sociedade, ou seja, existir como sujeito, mesmo que tenha algum tipo de limitação.

É muito importante pensar nisso, pois o comum é o foco na deficiência, enfatizando-a como responsável de todo o mal na vida do sujeito e não a relação do sujeito com deficiência e o meio em que vive.

O que nós queremos na vida é o básico: ser quem somos, ir e vir, trabalhar, ter nosso “canto”, sentirmos úteis, capazes, aceitos e amados, certo? Se sem deficiência ter esse básico precisamos de muito empenho e recursos emocionais e agora com deficiência? Ser deficiente na nossa sociedade ainda é algo que precisa de muito recurso emocional para lidar com o dia a dia, já que são muitas as barreiras arquitetônicas, profissionais, afetivas e sociais.

Hoje começarei a falar desse último, enfatizando o olhar do outro diante da pessoa com deficiência.

Vou propor uma reflexão mais profunda. Vamos pensar em uma criança que nasce com uma deficiência física. Para ela está tudo bem ser ela mesma, já que ela não tem referência de como é ser uma pessoa sem deficiência, ou seja, ela apenas sabe ser ela – com todos os seus desejos, vontades, fantasias.

O que acontece é que o olhar do outro sobre ela, as falas, as comparações e os comportamentos são muitas vezes recheados de “você não pode”, “você não consegue”, “você não tem”, “você é diferente” ou até mesmo os olhares de pena, desprezo, repulsa, toxicando-a desde cedo. Isso faz com que comece a introjetar sentimentos e pensamentos em sua psique de que ela possui algo de errado, que não é bem-visto ou aceito, fazendo com que se sinta diferente das demais pessoas e até mesmo duvidar que deve pertencer a sociedade.

Para ela superar isso, precisará de recursos emocionais para que possa “bancar” seu lugar de sujeito na sociedade, aquele que deseja, ama, cria. Crescer explorando suas potencialidades e sentindo as dificuldades inerentes apenas a ser humano enquanto sujeito e esse possui uma limitação mas que essa é apenas um detalhe.

Dra Michelli Bertoni, Psicóloga Clínica e Hospitalar, Especialista em Reabilitação da Pessoa com deficiência física e PCD.

Email: michelli.bertoni@hotmail.com
Insta: michellibertoni

Até mais

Beijocas apertadas

Dani

Compartilhar

Rodízio Municipal de Veículos: Veja como conseguir a liberação em São Paulo.

Rodízio Municipal

Olá Pessoal,

Hoje o post vai tratar sobre a liberação do rodízio de veículos. A lei do município  de São Paulo n º 12490/97, instituiu o rodízio municipal de veículos auto motores.Para quem não é de São Paulo, essa lei trata que em determinados dias da semana, de segunda à sexta feira, dependendo da terminação do número da placa do veículo, o mesmo não pode circular pelas ruas da capital nos horários de pico – 7h às 10:00 e das 17:00 as 20:00hrs.

No entanto, nessa lei há exceções, aplicando-se a determinados tipos de condutores. Portanto, estão liberados do rodizio:

I – transportes coletivo e de lotação, devidamente autorizados a operar o serviço;

II – motocicletas e similares;

III – táxis

IV – de transporte escolar;

V – guinchos

VI – outros, empregados em serviços essenciais e de emergência, assim considerados, para os fins deste Decreto”

Além desses citados acima, exclui-se também da obrigatoriedade, as pessoas que apresentam as seguintes características:

– Aquelas que possuem deficiência física – mesmo que essa seja reversível.

– Aquelas que possuem transtornos mentais

– Aquelas que realizam tratamento para doenças graves. Ex: câncer, dentre outras.

OBS: Pessoas que são condutores das pessoas com deficiência e /ou com doenças graves também tem direito a isenção.

Saiba o que é necessário.

1) Preencher o formulário: Requerimento de Cadastro de Veículo de Pessoa com Deficiência – Operação Horário de Pico. Veja o modelo e clique no link para baixar ou imprimir este formulário.

Requerimento para cadastro para liberação do Rodízio Municipal

Para ter acesso a este formulário clique neste link : https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/chamadas/isencaorodizio_1472592474.pdf

OBS: ESTE FORMULÁRIO É VALIDO PARA AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E TAMBÉM AQUELES QUE POSSUEM ALGUMA DOENÇA GRAVE E ESTÃO EM TRATAMENTO MÉDICO.

 2)  Verificar, no próprio formulário, na parte Documentos Necessários, quais são os documentos solicitados. Um dos documentos exigidos é o laudo médico e nele deve estar descrito o  Código Internacional da Doença (CID)+ o Diagnóstico, atestando a deficiência ou doença grave.

3) Entregar pessoalmente ou enviar o formulário e TODA a documentação solicitada ao DSV – Autorizações Especiais AE, localizado na Rua Semidouro, 740 , no bairro de Pinheiros. CEP: 05428-010. Telefones: Tel: 3812-3281 3816-3022. Horário de funcionamento: Segunda à sexta das 9: 00 às 17:00 hrs.

Bem, espero que este post seja de grande serventia. Compartilhe a informação que é importante.

Beijocas

Dani

Compartilhar

Parte Final : A misteriosa morte na Rua Domingos de Moraes.

Domingos de Moraes

Olá pessoal!!

Espero que curtam e surpreendam-se com a parte final deste conto!!!

**Para quem não conseguiu acompanhar a Primeira Parte é só clicar neste link: http://temnopedaco.com.br/a-misteriosa-morte-na-rua-domingos-de-moraes/

Boa leitura!!!

A Vila Mariana acordou triste naquela manhã nebulosa e gelada de inverno. Não se escutava o canto das cigarras e tampouco dos sabiás. Os moradores estavam chocados com a morte do boticário. Ícaro era um morador ilustre da Vila. Nasceu e cresceu no bairro. Desde a infância morava na mesma casa, localizada na Chácara da Glória. Era filho de italianos que migraram para o Brasil e fixaram residência no bairro em 1878.

Ícaro tinha 24 anos. Era um homem alto, forte, cabelo castanho claro e olhos da cor do céu. Fazia sucesso entre as mulheres, embora fosse solteiro. Tinha um coração bondoso e sua fama de bom farmacêutico  estendeu-se para outras localidades próximas da Vila. Era muito querido pelas pessoas.

Os moradores da Vila Mariana e também de outros bairros como:  Jabaquara, Bosque da Saúde e Cambuci estiveram presentes no funeral . Gente simples, famílias inteiras, tripeiros, trabalhadores do Matadouro Municipal e até mesmo as prostitutas, foram se despedir do boticário.

Exemplo de como eram os cortejos fúnebres da época.
Fonte: Site Iba Mendes

O Sr Malaquias, que encontrara o corpo, estava visivelmente muito abalado. Embora fosse mais velho que Ícaro, os dois eram muito amigos.

A Sra Margarida, esposa do Sr Malaquias,  acompanhava-o e o consolava. Ela era uma mulher muito vaidosa, mas já carregava em seu rosto as marcas do tempo. Tinha vergonha de sua aparência. Pouco saia de casa.Vivia reclusa, especialmente, após a morte de João.

João era filho do Sr Malaquias e de Dona Margarida. Ícaro e João eram muito próximos e sempre se divertiam juntos. Frequentavam os espetáculos de circo próximos ao Matadouro e também a alguns bailes promovidos na Vila. Há 03 anos João falecera de tifo.

O Sr Malaquias, junto com mais três homens, carregaram o corpo. Naquele tempo, os funerais duravam o dia inteiro e por isso havia revezamento para levar o caixão. No entanto, o Sr Malaquias fez questão de transportar o corpo do amigo durante todo o trajeto.

O cortejo percorreu as ruas do bairro, começou na Rua Domingos de Moraes , passou pela Estrada do Vergueiro e seguiu pela Avenida Paulista.  Todos  rezavam e cantavam cânticos religiosos. Foi assim até chegarem no Cemitério da Consolação.

Cemitério da Consolação.
Fonte: Acervo Estadão
Enterros no início do século XX
Fonte: Autor Desconhecido

Após o enterro, os homens foram beber o defunto num bar em frente ao cemitério, como era o costume da época. Regressaram de volta a Vila tarde da noite.

O Sr Malaquias e Dona Margarida foram até  a botica. Ela  estava com semblante tranquilo, correu os olhos pelo local e esboçou um leve sorriso. Foi quando voltou-se para o marido e disse:

-O senhor disfarçou muito bem, meu marido. Por um momento acreditei que  realmente estava abalado por Ícaro.

– Creio que sim, minha senhora. Ninguém jamais irá desconfiar o quanto estava feliz com a morte daquele patife, respondeu o Sr Malaquias.

– Até que enfim estamos vingados. Aquele ingrato e insensível rapaz nunca nos ajudou. Esbravejou Sra. Margarida.

– Teve o que merecia, comemorou Sr. Malaquias.

 O Sr. Malaquias começou a se recordar da raiva que sentia de Ícaro, por causa da morte de seu filho. Ele e a esposa nunca aceitaram o fato Ícaro não ter conseguido curar João, assim como fazia com muitos do bairro. O Sr Malaquias jurou vingança no leito de morte do filho.

Aproximou-se do boticário com intenção de matá-lo, mas queria que ele  tivesse uma morte lenta e sofrida como foi a de João. Planejou cada detalhe de como assassinaria Ícaro.

O Sr.Malaquias ia ter com Ícaro todos os dias, com a intenção de descobrir algo que fosse capaz de lhe causar uma morte dolorosa. Em uma das conversas, Ícaro mostrou-lhe uma planta venenosa que poderia  lentamente matar uma pessoa por asfixia.

No dia da morte de Ícaro, o Sr Malaquias apareceu na botica na hora do almoço, carregando um prato de comida preparado por Margarida. Não tinha esse costume, por isso o boticário estranhou. Insistiu para que Ícaro comece, sob o pretexto de que Margarida iria se aborrecer. Ícaro também não resistiu aquele arroz quente e fumegante que acabara de ser preparado. Comeu toda a comida.

No final da tarde, Ícaro começou a sentir-se mal. Estava sozinho. Da janela de sua casa,  o Sr Malaquias e a Sra Margarida viram com satisfação a aflição e os últimos momentos agonizantes da vida de Ícaro. Os dois haviam envenenado o boticário.

Fim!!!!

Saiba como acompanhar os próximos contos  assistindo a este vídeo :

XiaoYing_Video_1550412119268

Facebook: https://www.facebook.com/blogtemnopedaco/

Canal do YouTube :https://www.youtube.com/channel/UCKWvSMN2huGLaW4Mu3KTNmg

Fontes:

Site Acervo EstadãoCemitério da Consolação. Disponível em: hhttps://acervo.estadao.com.br/noticias/lugares,cemiterio-da-consolacao,8580,0.htmttps://acervo.estadao.com.br/noticias/lugares,cemiterio-da-consolacao,8580,0.htm 

Site Iba Mendes – Cortejo Fúnebre do Conde Alexandre Siciliano. Disponível em: http://www.ibamendes.com/2012/06/os-grandes-funerais-do-brasil-ii.html

Compartilhar

Eventos de Carnaval GRATUITOS na Vila Mariana!!!

Tem carnaval na Vila Mariana Gratuito . Tem evento para adultos e somente aqueles para crianças e famílias …

Compartilhar

A misteriosa morte na rua Domingos de Moraes.

Este conto envolve uma morte misteriosa na Rua Domingos de Moraes, ocorrida no inverno de 1902. O personagem principal era uma pessoa muito querida e influente. Nessa morte existem algumas curiosidades e quando você pensar que desvendou essas curiosidades, terá uma surpresa (…)

Compartilhar

Conheça sobre o restaurante na Vila Mariana responsável por esta massa.

massa

Olá Pessoal

Bem, hoje a resenha vai tratar de comida rápida. Sabe quando você está com muita pressa, mas quer comer uma comida gostosa? Que tal uma bela massa?

Pois bem, foi isso que encontrei no Mani in Pasta, um local que vende comida rápida e boa massa. Lá você também encontra risotos e saladas.

Almocei no restaurante do Shopping Vila Mariana, para quem não conhece é o antigo Multi Shopping.

O Mani in Pasta, possui o mesmo esquema que o Spoleto. Você escolhe a sua massa e os ingredientes. Por ser um fast food, me surpreendi e achei bem gostoso.

A massa escolhi um macarrão tipo fusilli. Estava cozido na medida certa. Nem duro e nem muito molenga. Odeio macarrão passado do ponto de cozimento. Por isso, ponto positivo para o Mani.

Em relação aos acompanhamentos, no Mani você pode escolher até quatro opções. Pedi um molho a bolonhesa com linguiça calabresa, cebola, bacon e tomate seco.

Fusili a bolonhesa com tomate seco, linguiça calabresa e bacon

Gente, o molho estava s e n s a c i o n a l !!! Bem temperado e  com um sabor divino.Eles são bem generosos quanto aos acompanhamentos. Dava para ver e sentir os pedaços de linguiça calabresa, bacon e do tomate seco. E, para quem gosta de comida molhada como eu, eles capricharam no molho.

A única desvantagem para mim foi a quantidade de massa, pois eu como pouco e, conforme eu já havia mencionado, eles são generosos.

Neste prato, acompanhado de refrigerante, paguei R$32,90.


Pessoal, embora eu tenha gostado muito, o Mani de Pasta é um restaurante de comida rápida, então, não esperem uma massa de cantina italiana. Mas que este lugar é gostoso, isso é. Pelo menos, eu achei.

Mani in Pasta Shopping Vila Mariana
R. Pelotas, 83 – Vila Mariana, São Paulo – SP, 04012-000

Até a próxima

Beijocas apertadas.

Dani.

Compartilhar

Dicas de como identificar comportamentos destrutivos e desenvolver a auto-estima para alcançar a felicidade.

auto-estima

(*) Artigo elaborado pela Dra. Fabiane Alves.

Muitos falam de amor-próprio e auto-estima, mas o que é exatamente isso? O que esta envolvido nesse padrão psíquico?

Porque é importante pensar e falar sobre esse tema? O que esta envolvido nisso?

Para começar a entender nosso desenvolvimento de percepção de sí e do mundo, vamos citar o Psicanalista Winnicott que defende a idéia que o bebe não existe sem o cuidado de alguém. Sua existência vai se organizando através das suas experiências de cuidado, por exemplo,  a temperatura do leite oferecido a ele, a troca da frauda, a amamentação, o olhar dessa mãe… mas não necessariamente deve ser a mãe genitora, mas uma pessoa que fique com essa função de cuidar desse bebe.

auto -estima

Acha besteira?

Essa fase irá definir a personalidade da pessoa e o olhar dela para si e para o mundo e assim ele passa a se amar ou não, e a se relacionar com o outro de acordo com o que acredita de sí.

Se a pessoa se achar capaz e inteligente, pode tornar-se ousada e segura, se acredita ser “burro e sem caráter”, poderá aceitar qualquer proposta, pois não conhece seu valor e qualquer coisa a satisfaz. Aqui eu citei o exemplo de um emprego, mas serve para amizades, namoros ou qualquer decisão da vida…

E agora? O que eu faço?

Precisamos entender que cuidar dos nossos pensamentos e sentimentos deveria ser algo tão normal como cuidar dos nossos dentes, ou tomar banho…

Podemos pensar em nossos sentimentos como um óculos para a vida, dependendo da cor que colocamos nas lentes, assim a veremos.

Com qual lente você tem olhado a vida?

A lente do vitimíssimo? Da raiva ou vingança? Da tristeza ou falta de esperança?

Faz parte do processo da saúde, o pedir ajuda quando não estamos dando conta de alguma situação.

Qual sua forma de lidar com o vazio sem explicação, a frustração as vezes diária, a falta de incentivo ou credibilidade?

Remédios? Bebidas? Drogas? Sexo sem amor-próprio?

A falta de cuidado próprio, ou seja, não levar a sério um tratamento de saúde, não fazer atividade física, comer demais ou comer de menos, comer com qualidade ou comer sem qualidade, reflete o quanto de auto-amor e auto-cuidado  você tem pelo seu corpo e sua vida e quem não cuida de si esta vivendo inconscientemente uma “pulsão de morte”, existe um desejo de morte.

Pulsão de morte é um termo da psicanalise que fala dos comportamentos auto-destrutivos inconsciente responsáveis por atitudes que aos poucos acabam com nossa saúde física, mental e emocional.

É necessário investir em auto-conhecimento, saúde mental, cuidado de sí para identificar se há comportamentos auto-destrutivos e ser possível melhorar ou mudar essa história.

Quer ver mais dicas da Dra Fabiane Alves, clique aqui: https://temnopedaco.com.br/category/dra-fabiane-psicologa/

Dra. Fabiane Alves

Psicóloga Clínica, especialista em Psicopatologia e Saúde Pública pela FMUSP

CRP 06/121208

Contatos:

  • tel: (011) 96596-8082

Compartilhar

Imposto de Renda: Saiba como obter isenção TOTAL.

Imposto de Renda

Olá Pessoal!!!

Hoje vou abordar um post que deve interessar a muitos – quem tem direito a isenção TOTAL do Imposto de Renda e quais os trâmites necessários para a solicitação.

São isentos do Imposto de Renda, as pessoas que recebem aposentadorias, pensões ou reformas/reservas(militares), incluindo, as complementações recebidas de entidades privadas e pensões alimentícias, DESDE QUE, esses beneficiários sejam portadores de doenças consideradas graves.

Em suma: Para conseguir solicitar a isenção do Imposto de Renda são necessários a junção de dois fatores: A pessoa receber algum tipo de benefício (aposentadorias, pensões…etc) e ser portador de alguma doença grave.

Abaixo listamos as doenças consideradas graves para fim desta solicitação:

1 ) Câncer

2) Cegueira

3) Estado avançado da doença de Paget

4) AIDS

5) Paralisia irreversível e incapacitante

6) Tuberculose ativa

7) Contaminação por radiação

8) Espondiloartrose anquilosante

9) Fibrose cística (mucoviscidose)

10) Hanseníase

11) Hepatopatia grave

12) Alienação Mental

13) Doenças do coração graves

14) Mal de Parkinson

15) Problemas renais graves

Trâmites Necessários:

1) O contribuinte deve dirigir-se a sua fonte pagadora (INSS, União, Estado ou Município), requerer a solicitação de isenção de imposto de renda e apresentar os documentos listados abaixo:

2) No laudo devem conter informações como

a) CID (Código Internacional de Doenças) + Diagnóstico da doença.

b) Estágio clínico atual da atual doença do contribuinte.

c)Se possível, data inicial da manifestação da doença.

Obs: Quando possível, o médico deverá mencionar neste laudo, a data em que a doença foi contraída,. Entretanto, caso não haja essa possibilidade, será considerada  a data de preenchimento do laudo,  como sendo a data em que a doença foi contraída.

d) Data, nome e CRM do médico com a devida assinatura.

3) Levar exames que comprovem a doença( ex: laudo anatomopatológico/biópsia)

Observações Importantes:  

a) O contribuinte DEVE apresentar a declaração de imposto de renda normalmente, mesmo que obtenha o direito à isenção.

b) Nos últimos 05 anos, caso o contribuinte tenha sido descontado indevidamente, ou seja, caso ele (contribuinte) comprove que neste período atendia aos critérios necessários para obtenção da isenção do imposto de renda, deve dirigir-se a Receita Federal e solicitar a restituição dos valores descontados.

c) Somente após o reconhecimento da isenção é que a fonte pagadora deixará de descontar o imposto.

FONTES:

Site Oncoguia. Isenção do Imposto de Renda na Aposentadoria. Disponível em: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/isencao-de-imposto-de-renda/21/4/

Site da Receita Federal. Isenção sobre o imposto da renda da pessoa física para portadores de moléstias graves. Disponível em: http://idg.receita.fazenda.gov.br/orientacao/tributaria/isencoes/isencao-do-irpf-para-portadores-de-molestia-grave

Bem, espero que este artigo ajude muitas pessoas. “Bora” compartilhar informações!!!!

Beijocas apertadas

Dani

Compartilhar

Veja a padaria que possui um sorvete super elogiado no bairro.

Sorvete

Olá Pessoal!!!

A resenha de hoje é para falar de um produto com a cara do verão: Sorvete!!!!

Gente, há algum tempo ouço meus amigos e vizinhos elogiarem bastante o sorvete vendido na Padaria Nova Colonial.

Ontem resolvi provar e vou contar para vocês sobre a minha opinião…

Eu provei o sorvete de menta com flocos. Amo sorvete de menta mais que tudo nessa vida…rsrsrsrs. Achei o gosto da menta suave e os pedaços de chocolate são bem pequenos, quase imperceptíveis. Confesso que prefiro sorvete de menta com um sabor um pouco mais forte .Porém, eu gostei.

Sorvete de Menta com Flocos

Os pontos positivos desse sorvete para mim são: A textura leve, a boa cremosidade, não é enjoativo e não derrete facilmente.

Geralmente, sorvete de massa não me cai muito bem. Frequentemente, parece que ao invés de ter tomado sorvete, eu comi um tijolo…rsrsrs. Fico me sentindo enjoada, pesada e desconfortável. Entretanto, isso não ocorreu com o sorvete que provei na Nova Colonial. Fiquei bem surpresa. Ele me caiu muito bem.

Como ponto negativo, aponto as poucas opções de sabores e o preço. Para quem consome pouco sorvete, como eu , não achei caro. Paguei R$ 6,99 em 100 gramas. Porém, para quem costuma consumir “litros”, o preço final pode sair salgado.

Percebi que muitas pessoas vão a Nova Colonial para saborear do sorvete. Inclusive, ouvi uma mulher que estava sentada na minha frente, comentar o quanto gostou dele.

Opinião final: Vale a pena provar, pois além de ser gostoso, neste calor, tomar um sorvete leve e refrescante, não há coisa melhor!!!! Eu pretendo voltar.

Ah, para quem não quer fugir da dieta, existem opções de sorvete zero açúcar!!!

Para quem quiser conferir mais dicas de doces é só clicar aqui: https://temnopedaco.com.br/category/doces/

Padaria Nova Colonial: Rua Luís Góis, 1717 – Mirandópolis, São Paulo – SP, 04043-350.

Até a próxima!!!

Beijocas apertadas

Dani

Compartilhar