Dicas de como identificar comportamentos destrutivos e desenvolver a auto-estima para alcançar a felicidade.

auto-estima

(*) Artigo elaborado pela Dra. Fabiane Alves.

Muitos falam de amor-próprio e auto-estima, mas o que é exatamente isso? O que esta envolvido nesse padrão psíquico?

Porque é importante pensar e falar sobre esse tema? O que esta envolvido nisso?

Para começar a entender nosso desenvolvimento de percepção de sí e do mundo, vamos citar o Psicanalista Winnicott que defende a idéia que o bebe não existe sem o cuidado de alguém. Sua existência vai se organizando através das suas experiências de cuidado, por exemplo,  a temperatura do leite oferecido a ele, a troca da frauda, a amamentação, o olhar dessa mãe… mas não necessariamente deve ser a mãe genitora, mas uma pessoa que fique com essa função de cuidar desse bebe.

auto -estima

Acha besteira?

Essa fase irá definir a personalidade da pessoa e o olhar dela para si e para o mundo e assim ele passa a se amar ou não, e a se relacionar com o outro de acordo com o que acredita de sí.

Se a pessoa se achar capaz e inteligente, pode tornar-se ousada e segura, se acredita ser “burro e sem caráter”, poderá aceitar qualquer proposta, pois não conhece seu valor e qualquer coisa a satisfaz. Aqui eu citei o exemplo de um emprego, mas serve para amizades, namoros ou qualquer decisão da vida…

E agora? O que eu faço?

Precisamos entender que cuidar dos nossos pensamentos e sentimentos deveria ser algo tão normal como cuidar dos nossos dentes, ou tomar banho…

Podemos pensar em nossos sentimentos como um óculos para a vida, dependendo da cor que colocamos nas lentes, assim a veremos.

Com qual lente você tem olhado a vida?

A lente do vitimíssimo? Da raiva ou vingança? Da tristeza ou falta de esperança?

Faz parte do processo da saúde, o pedir ajuda quando não estamos dando conta de alguma situação.

Qual sua forma de lidar com o vazio sem explicação, a frustração as vezes diária, a falta de incentivo ou credibilidade?

Remédios? Bebidas? Drogas? Sexo sem amor-próprio?

A falta de cuidado próprio, ou seja, não levar a sério um tratamento de saúde, não fazer atividade física, comer demais ou comer de menos, comer com qualidade ou comer sem qualidade, reflete o quanto de auto-amor e auto-cuidado  você tem pelo seu corpo e sua vida e quem não cuida de si esta vivendo inconscientemente uma “pulsão de morte”, existe um desejo de morte.

Pulsão de morte é um termo da psicanalise que fala dos comportamentos auto-destrutivos inconsciente responsáveis por atitudes que aos poucos acabam com nossa saúde física, mental e emocional.

É necessário investir em auto-conhecimento, saúde mental, cuidado de sí para identificar se há comportamentos auto-destrutivos e ser possível melhorar ou mudar essa história.

Quer ver mais dicas da Dra Fabiane Alves, clique aqui: https://temnopedaco.com.br/category/dra-fabiane-psicologa/

Dra. Fabiane Alves

Psicóloga Clínica, especialista em Psicopatologia e Saúde Pública pela FMUSP

CRP 06/121208

Contatos:

  • tel: (011) 96596-8082

Compartilhar

Aprenda a cuidar de si e ter uma vida mais Feliz!!!

Cuidar de si

(*) Artigo elaborado pela Dra Fabiane Alves.

Quando pensamos sobre “O cuidado de si” vem logo o pensamento do quanto estamos sendo egoístas, pois aprendemos que temos que renunciar a nós mesmos e aceitar as regras de uma sociedade ou religião.

O olhar do outro para você que deseja cuidar da sua vida e preocupa-se consigo mesma é um olhar que te julga como uma criminosa.

E na verdade o cuidar de si é a construção da sua subjetividade, sua essência, sua identidade individual e única. 

Somente a coragem de construir sua subjetividade lhe dará o tão falado empoderamento, palavra muito citada nos dias atuais.

Empoderamento é saber que você pode, dentro dos seus limites e ética com o próximo ser e fazer o que quiser.

Cuidar de si é algo subjetivo também, cada um tem sua necessidade especifica e cada um tem seus motivos específicos para muitas vezes não conseguir identificar e a partir disso iniciar seu processo de cuidado, que é constante…

Todas as vezes que não sabemos o que fazer, temos que reconhecer nossa necessidade do outro e pedir ajuda, orientação, indicação e isso só nos enobrece e fortalece as relações.

O cuidar de si envolve muito mais que o cuidado com o corpo, inclui também o cuidado com o que penso, o que guardo na minha memoria e o que faço com ela. Levar a sério um tratamento e as minhas relações, seja familiar, de amizade ou relacionamento amoroso também é essencial no cuidado pessoal de cada um, pois isso influência na minha satisfação com a vida e o valor que darei a ela.

Sou responsável pela minha vida e pelo que acontece nela e por este motivo devo sentir-me no direito de decidir o melhor para mim, ainda que isso seja contrário a opinião de terceiros

Pense nisso!

Dra Fabiane Alves

Psicóloga Clínica, especialista em Psicopatologia e Saúde Pública pela FMUSP

CRP 06/121208

Contatos:

  • Tel: (011) 96596-8082


Compartilhar

SAÚDE MENTAL: AUTO IMAGEM E ACEITAÇÃO

Saúde mental

Saúde Mental é a capacidade de saber lidar com as diferentes situações da vida e os sentimentos e consequências dos comportamentos que temos diante dessas situações que muitas vezes a gente encara como grande desafio.

Vivenciar diferentes experiências com nossos sentimentos faz parte da nossa vida. Ficar alegre em situações boas e tristes em situações de perdas, frustrações ou decepções, é normal, a questão é quando não estamos dando conta de lidar com essas experiências.

Saúde Mental

Se a gente não esta dando conta de alguma situação, não tem problema, podemos e devemos pedir ajuda! Isso é normal e saudável!

Por que é importante dar atenção as nossas emoções e saúde mental?

Porque elas, quando bem cuidadas e entendidas, nos trazem equilíbrio para lidar com os desafios da vida de uma forma com menos prejuízos.

“Pessoas mentalmente saudáveis compreendem que ninguém é perfeito, que todos possuem limites e que não se pode ser tudo para todos.” (secretaria da saúde)

Para manter esse equilíbrio é essencial o auto conhecimento que ocorre sempre que paramos para dar atenção aos nossos pensamentos e sentimentos, falar sobre isso à profissionais preparados possibilita a identificação de comportamentos e mobiliza as mudanças necessárias.

Tudo isso também influência na auto-imagem, sabe como ela se constitui?

Quando a gente nasce, vemos a vida através das experiências com nossos pais e aqueles que os ajudam a cuidar de nós, e essas experiências que vivemos em família vão fazendo parte da formação da nossa personalidade e identidade e a forma que vemos a vida. 

Depois vamos para o mundo, escola, amigos do prédio ou rua, primos, tios… E assim vamos recebendo mais informações de como as pessoas nos vê , e como elas acham que deveríamos ser e vamos nos cobrando em ser quem falaram que deveríamos ser!

É necessário parar e pensar de quem é a voz que estamos escutando.

É necessário parar e pensar através dos olhos de quem eu estou me olhando.

É necessário parar e repensar, reavaliar a forma como estou me avaliando.

É necessário parar e pensar se preciso pedir ajuda!

Estudos mostram que alguns comportamentos são resultados de crenças limitantes. O que são crenças limitantes?

As crenças são representadas por todas as ideias que você viu, ouviu ou concluiu e acabaram se tornando uma verdade absoluta para você. Tudo o que os indivíduos fazem — a forma como eles pensam, sentem e agem — é resultado de suas crenças, e é justamente por isso que muitas pessoas agem de formas diferentes em situações idênticas.

Dar importância a saúde mental, pensamentos e sentimentos é o segredo de uma vida leve, saudável e em constante crescimento…

Pense nisso e se precisar de ajuda, pode me procurar!!!

 Dra Fabiane Alves

Psicóloga Clínica, especialista em Psicopatologia e Saúde Pública pela FMUSP

CRP 06/121208

psicologafabyalves@gmail.com

(011) 96596-8082

Compartilhar

Qual o resultado da Campanha de Prevenção ao Suicídio?

Suicídio

Artigo elaborado pela  Dra Fabiane Alves*


* Psicóloga Clínica, especialista em Psicopatologia e Saúde Pública pela FMUSP .

Olá Pessoal,

Eu sei que já entramos no Outubro Rosa, mas não poderia deixar de publicar esse artigo da Dra Fabiane Alves, que traz informações muito interessantes sobre os mecanismos que vem sendo desenvolvidos pelas redes sociais, na tentativa de prever o suicídio. Bem, estou certa que esse texto será de grande valia para todos. Então, boa leitura!!!!

Uma pesquisa americana mostra que em 5 décadas, não houve melhora na habilidade de médicos e psicólogos de prever o suicídio. A boa notícia é que a partir dessa imensa base de dados que a pesquisa proporcionou, estão desenvolvendo ferramentas eletrônicas parecidas aos exames de coração que mostram as chances de desenvolver doenças cardíacas.

Esse sistema será capaz de computar informações como, doenças mentais, crises financeiras, histórico familiar de suicídio, discriminação, trauma de infância, estresse ou abuso de substância e interagir entre si para identificar uma possível tendência ao suicídio e quanto mais forte for o desejo do suicídio, a maquina irá identificar com mais precisão.

O Facebook atualmente tem desenvolvido um algoritmo que detecta palavras de risco nos post e até nos comentários de amigos, para disparar o alerta de suicídio mesmo que ninguém faça denúncia.

Já existem casos de pessoas que conseguiram impedir o suicídio de familiares e amigos através dessa ferramenta, notificando Facebook que rastreou o endereço do IP do computador acionando órgãos competentes para ir ao local e impedir o trágico fato.

O importante é que todos nós estejamos alertas e preparados pra identificar os sinais que alguém à nossa volta possa dar:

  • Frases ou publicações nas redes sociais que falem de solidão, isolamento, culpa, apatia, autodepreciação, desejo de vingança ou hostilidade fora do comum. Coisas como:
  • “Não faço nada direito, sou um lixo”, “Não quero sair da cama nunca mais”, “Mais uma madrugada sem sono”, “Quero que todo mundo se dane”, “Vocês não vão precisar mais se preocupar comigo”
  • Impulsividade: aumentar o uso de álcool ou drogas, mudanças drásticas de peso, dirigir perigosamente
  • Uso frequente de emojis negativos
  • Perguntas sobre métodos letais, como facas, armas ou pílulas
  • Enaltecer e glamorizar a morte
  • Desfazer-se de objetos pessoais e dar adeus

E como posso ser um ombro amigo?

  • Mostre que você se importa, que a pessoa não está sozinha. Ofereça ajuda sem julgar ou dar conselhos: Diga: “estou preocupado com você.  Quer conversar? O que posso fazer para te ajudar?”
  • Não compare sofrimentos: não exija que o seu amigo se sinta alegre por ter menos problemas que outras pessoas. Cada um lida com os sentimentos de forma particular.
  • Pergunte se seu amigo cogita se matar. Se a resposta for “sim”, não entre em pânico. Compartilhar pensamentos suicidas pode aliviar a sensação de isolamento.
  • O melhor caminho é sugerir auxílio profissional. Por exemplo: “tudo bem se não quiser se abrir comigo, quer ajuda para encontrar um psicólogo?”

Em caso de emergência

  • Ao ver uma postagem suspeita, notifique o Facebook e entre em contato com o amigo.
  • Se alguém ameaçar tirar a própria vida, sempre leve a sério: ligue para o 190 ou acompanhe seu amigo pessoalmente até a emergência mais próxima.
  • Depois de uma ameaça de suicídio, entre em contato periodicamente com a pessoa.

Precisamos estar atentos às pessoas a nossa volta e principalmente em nós mesmos e em como esta nossas emoções e reações diante de todas as adversidades da vidaões diante de todas as adversidades da vida, para isso deixo uma frase da colega de profissão.

“Se aceitar é a melhor forma de combater qualquer mal estar e sentimentos negativos, quem não quer entrar na forma, não perde a sua forma e busca pelo auto-conhecimento, se percebendo mais, dando mais atenção aos seus sentimentos e percebendo-se melhor, melhoramos nossa própria aceitação e bem estar. (Karina Fukumitsu)

Confesso que amei esse artigo da Dra Fabiane. Para mim foi super esclarecedor .

Pessoal, para quem se interessar, a Dra Fabiane possui um grupo  de profissionais disponíveis para palestras gratuitas em escolas e empresas.

 O número de crianças, adolescentes, país/responsáveis, colaboradores…etc, que necessitam de informações ou auxílio de profissionais da saúde mental está cada vez mais crescente. Por isso, vamos divulgar!!!

Os contatos da Dra Fabiane estão logo abaixo:

**NOVO TELEFONE PARA CONTATO: (11) 96596 8082

EMAIL:  psicologafabyalves@gmail.com

***Quem quiser ver mais publicações da Dra. Fabiane, basta clicar aqui: http://temnopedaco.com.br/category/dra-fabiane-

Beijocas apertadas

Dani

 

Compartilhar

SAÚDE : SETEMBRO AMARELO E A IMPORTÂNCIA DA VALORIZAÇÃO DA VIDA.

Saúde

Artigo elaborado pela Dra Fabiane Alves *

Saúde – Campanha de Prevenção ao Suicídio

Esse mês de Setembro vamos focar o conteúdo da área de psicologia na Campanha SETEMBRO AMARELO. Pois esse é um assunto que merece toda nossa atenção.

A Organização Mundial de Saúde – OMS tem determinado um mês e uma determinada cor para expor assuntos de saúde com a população trazendo a conscientização da necessidade do cuidado consigo mesmo. Vamos lembrar de alguns?

_ Setembro Amarelo

_ Outubro Rosa

_ Novembro Azul

_ Janeiro Branco

Devido ao aumento do número de suicídio, a questão tem se tornado assunto de saúde pública e mata 1 brasileiro a cada 45 minutos e 1 pessoa a cada 45 segundos no mundo.

Vivemos uma era onde tudo acontece muito rápido e as relações estão superficiais, tendo um aumento considerável das doenças emocionais como depressão e ansiedade e é necessário que nossa sociedade comece a dar atenção as emoções e suas manifestações.

No Brasil estamos tentando mudar uma condição de tratar a saúde de forma remediativa, para uma saúde preventiva, quando existem mais chances de cura e muitas vezes se torna mais barato aos cofres públicos.

Pensando em saúde emocional, tratar a dor de uma perda, a dificuldade de aceitar uma situação ou buscar a mudança de comportamentos que temos dificuldades e atrapalha nossos relacionamentos é a melhor opção, pois essa pode ser o inicio de uma caminhada que pode levar ao fim, ao suicídio.

No dia a dia passamos por situações que nos deixa triste, decepcionados e confusos, mas devemos prestar atenção quando esse sentimento permanece por muito tempo e vamos perdendo o prazer de realizar atividades, estar com pessoas, planejar o futuro, existe uma alteração da alimentação ou aumento do consumo de álcool e outros tipos de drogas.

Existem algumas formas simples de poder ajudar pessoas que você percebe estar nessa situação:

_ Converse com a pessoa sem julgamentos e assim propor que ela busque ajuda, mas a sua atenção já ajudará, ainda que a mesma não tenha condições de demonstrar ou agradecer.

_ Acompanhe a pessoa no seu dia a dia, esteja atento à ela.

_ Busque ajuda profissional de um médico, psicólogo para orientar e tratar a questão.

_ Proteja, se há perigo imediato, não a deixe sozinha e tente afastar meios que possa provocar a própria morte (medicamentos, armas, objetos cortantes e etc)

Na verdade, quando uma pessoa pena em suicídio, ela quer matar a dor, a falta de esperança e desespero e precisamos ajuda-la a ver saídas e possibilidades de vida.

Fico a disposição para mais esclarecimentos…

* Fabiane Alves – Psicóloga Clínica

Contatos: Celular e WhatsApp 011 – 9 8444-0027

Se  você quiser conferir mais publicações da Dra Fabiane Alves é só clicar aqui :http://temnopedaco.com.br/category/dra-fabiane-psicologa/


Compartilhar

Qual é a importância de um pai na vida do filho?

pai                                    Artigo escrito pela psicoterapeuta Dra Fabiane Alves.

Agosto é um mês especial por muitos motivos, mas vamos focar na data de comemoração dessa pessoa significativa em nossa vida, nosso pai!

Indiferente do tipo de relação que você teve com seu pai, próximo ou distante, com boas ou más lembranças, ele foi significativo e influenciou a formação da sua personalidade, seus comportamentos e forma de enxergar a vida.

Esse texto foi criado para uma reflexão da importância do pai e para os pais pensarem na importância que eles têm para seus filhos.

A importância do pai na vida do  filho

Quando pensamos em maternidade, logo pensamos na figura da mãe que naturalmente já estabelece um vínculo com o bebê desde a gestação, mas só ela não é suficiente para o desenvolvimento do filho. Você PAI, é muito importante no processo de desenvolvimento do seu filho, quando é um bebê, na infância, adolescência e nunca será esquecido na vida adulta.

Winnicott, pediatra que não se limitou a medicina tradicional, mas estudou a psicanálise e desenvolveu uma teoria do desenvolvimento infantil, fala da importância do pai “em sustentar” a relação mãe e bebê na introdução desse sujeito no mundo.

Sim, é através do pai que o bebê é introduzido na sociedade, sua participação efetiva em sua rotina e cuidados, a qualidade da sua presença e afetividade transmitida a esse bebê em cada ação influência sua constituição de sujeito. Esse pai que se faz presente no cuidado dessa família oferecendo recursos financeiro e emocional para que essa mãe possa se dedicar a adaptação do filho no mundo influência na formação do caráter e personalidade desse ser em formação.

Nem todos nos tivemos a oportunidade de ter nosso pai biológico como essa pessoa que ajudaria nossa mãe nesse processo, mas algum familiar exerceu essa função, é foi fundamental em nossa vida.

Vivemos um momento em nossa cultura de novas formações de estrutura familiar, é a mãe que cria os filhos sozinha tendo a escolinha do bairro ou creche como auxilio, ou com os avós exercendo essa função do pai, o irmão (a) mais velho (a) que ajuda sua mãe na criação dos irmãos e tantos outros que poderíamos citar aqui…

O importante é perceber que a figura paterna, sendo exercida pelo pai biológico ou alguém que exerça sua função é essencial na relação mãe/bebê e no desenvolvimento desse sujeito e sua forma de relação com o mundo.

Por esse motivo, pensa agora na pessoa que exerceu essa função na sua vida e perceba a influência dela nas suas reações e sentimentos que vive.

Qual marca seu pai deixou em sua vida?

Ou

Qual marca você, pai, deixou ou quer deixar na vida do seu filho?

Que esse dia nos traga reflexões dessa pessoa essencial, o pai!

Eu amei esse artigo da Dra Fabiane!

Se você quiser conferir os outros textos escritos por ela, basta clicar aqui.http://temnopedaco.com.br/category/dra-fabiane-psicologa/

Não percam ainda nesta semana, os  próximos posts do Tem no Pedaço.  Na sessão Minha Transformação,  escrevi um artigo sobre O mito pela busca da perfeição. Já na sessão Curiosidades ,  eu trarei um assunto sobre a Vila Mariana, que ainda não vi em nenhum lugar: As Cerimonias Fúnebres e os Casamentos realizados no bairro no Séc XIX. 

Beijocas apertadas

Dani

Compartilhar

Como lidar com o Estresse e as Pressões do Cotidiano.

Estresse.

Olá Pessoal,

Hoje o Tem no Pedaço vai trazer mais um artigo elaborado pela Dra. Fabiane Alves, psicóloga que trabalha na região da Vila Mariana , e tem contribuído com os seus artigos para os leitores do Blog. O artigo está bem legal e vai ajudar muita gente que sofre/ está sofrendo de estresse.

Através dessa leitura, poderão identificar que estresse não é frescura!!!

Eu me identifiquei com algumas características e esse texto me ajudou a compreender melhor o momento em que estou vivendo.

O QUE É O ESTRESSE?

O termo estresse, não faz parte da análise psicanalítica, mas quando é manifesto, quando chega na clínica, revela que existe um sofrimento subjetivo (meus sentimentos, traumas e registros de memória), como exemplo, podemos citar uma febre que denuncia a dor de garganta ou uma inflamação em alguma parte do corpo.

Popularmente o termo estresse é utilizado para se referir a um desgaste emocional diante de conflitos psíquicos.

A pessoa em sofrimento apresenta um quadro de sintomas orgânicos (dor de cabeça, enjoo)  e psicológicos (cansaço excessivo, falta de paciência e etc).

Ao pesquisar o CID-10 (Código Internacional de Doenças), vemos os estresse presente em algumas nomenclaturas de psicopatologias/doenças, relacionadas à dificuldade de adaptação.

Todas as vezes que eu preciso me adaptar a uma nova situação eu entro num estado de estresse.

O estresse é uma reação orgânica diante de situações que exigem um grande esforço emocional para ser superada. Algo que me deixa muito preocupada, triste, decepcionada e outros…

Segundo a Dr(a) Marilda Lipp do Instituto de Psicologia e Controle do Estresse  o mesmo se desenvolve em 4 estágios:

Inicialmente é o Estágio de Alerta

Uma fase boa, quando o organismo produz adrenalina e a pessoa consegue produzir além do normal. A pessoa fica cheia de energia e vigor, com disposição para qualquer tarefa.

Ex: Fase de estudos que a pessoa vara a noite para entregar um trabalho ou realizar uma prova escolar ou concurso… Um projeto de trabalho que pode resultar numa promoção, promoção de cargo…

Durante essa fase que é considerada como boa, também pode sentir tensão ou dor muscular, azia, problemas na pele, irritação sem causa aparente, nervosismo, sensibilidade excessiva, ansiedade e inquietação.

Porém, ao terminar a fase do desafio, a prova feita, a conta paga, ou sei lá qual seja a razão do seu estresse, esses sintomas vão embora e sua saúde volta ao normal, mas, se o estressor continua ou se algo a mais acontece para nos desafiar, podemos entrar no estágio de resistência.

 

Estágio de Resistência

Nesta fase, dois sintomas mais importantes surgem: dificuldades com a memória e muito cansaço. Se nosso esforço for suficiente para lidar com a situação, o estresse é eliminado e saímos do processo de estresse.

O problema maior começa a ocorrer quando não conseguimos resistir ou nos adaptar e nosso organismo começa a sofrer um colapso gradual. Entramos na fase de quase-exaustão.

Fase de Quase – Exaustão

Aqui podem surgir os problemas mencionados a seguir:

  • Cansaço mental;
  • Dificuldade de concentração;
  • Perda de memória imediata;
  • Apatia ou indiferença emocional;
  • Impotência sexual ou perda da vontade de ter sexo;
  • Herpes;
  • Corrimentos;
  • Infecções ginecológicas;
  • Aumento de prolactina;
  • Tumores;
  • Problemas de pele
  • Queda de cabelo;
  • Gastrite ou úlcera;
  • Perda ou ganho de peso;
  • Desânimo, apatia ou questionamento frente a vida;
  • Autodúvidas;
  • Ansiedade;
  • Crises de pânico;
  • Pressão alta;
  • Alteração dos níveis de colesterol e triglicérides;
  • Distúrbios de menstruação;
  • Queda na qualidade de vida.

 

Dificuldades relatadas por pessoas que se encontravam em cada fase do estresse

Fase de Alerta:                               

  • SONO: Dificuldade em dormir muito acentuada devido à adrenalina.
  • SEXO: Libido (vontade de ter sexo) alta. Muita energia. O sexo ajuda a relaxar.
  • TRABALHO: Grande produtividade e criatividade. Pode varar a noite sem dificuldade.
  • CORPO: Tenso. Músculos retesados. No inicio da fase, aparece a taquicardia (coração disparado). Sudorese. Sem fome e sem sono. Mandíbula tensa. Respiração mais ofegante do que o normal. No todo, o organismo reage em uma perfeita união entre mente e corpo. A tensão do corpo encontra correspondência na mente.
  • HUMOR: Eufórico. Pode ter grande irritabilidade devido à tensão física e mental experimentada.

Fase de Resistência:

  • SONO: Normalizado.
  • SEXO: Libido (vontade de ter sexo) começa a baixar. Pouca energia. O sexo não apresenta interesse.
  • TRABALHO: A produtividade e a criatividade voltam ao usual, mas às vezes não consegue ter novas idéias.
  • CORPO: Cansado, mesmo tendo dormido bem. O esforço de resistir ao stress se manifesta em uma certa sensação de cansaço. A memória começa a falhar. Mesmo não estando com alguma doença, o organismo se sente “doente”.
  • HUMOR: Cansado. Só se preocupa com a fonte de seu stress. Repete o mesmo assunto e se torna tedioso.

Fase de Quase-exaustão:

  • SONO: Insônia. Acorda muito cedo e não consegue voltar a dormir.
  • SEXO: Libido (vontade de ter sexo) quase desaparece. A energia para o sexo está sendo usada na luta contra o stress e a pessoa perde o interesse.
  • TRABALHO: A produtividade e a criatividade caem dramaticamente. Consegue somente dar conta da rotina, mas não cria e nem tem idéias originais.
  • CORPO: Cansado. Uma sensação de desgaste aparece. A memória é muito afetada e a pessoa esquece fatos corriqueiros, até mesmo seu próprio telefone. Doenças começam a surgir. As mulheres apresentam dificuldades na área ginecológica. Todo o organismo se sente mal. Ansiedade passa a ser sentida quase que todo dia.
  • HUMOR: A vida começa a perder o brilho. Não acha graça nas coisas. Não quer socializar. Não sente vontade de aceitar convites ou de convidar. Considera tudo muito sem graça e as pessoas tediosas.

Fase de Exaustão:

  • SONO: Dorme pouco. Acorda cedíssimo e não se sente envigorado pelo sono.
  • SEXO: Libido (vontade de ter sexo) desaparece quase que completamente.
  • TRABALHO: Não consegue mais trabalhar como normalmente. Não produz. Não consegue se concentrar e nem decidir.O trabalho perde o interesse.
  • CORPO: Desgastado e cansado. Doenças graves podem ocorrer, como depressão, úlceras, pressão alta, diabetes, enfarte, psoríase etc. Não há mais como resistir ao stress. A batalha foi perdida. A pessoa necessita de ajuda médica e psicológica para se recuperar. Em casos mais graves, pode ocorrer a morte.
  • HUMOR: Não socializa. Foge dos amigos. Não vai a festas. Perde o senso de humor. Fica apático. Muitas pessoas têm vontade de morrer.

Nem sempre o estresse é ruim, vamos ver?

Estresse negativo e positivo: existe Estresse ideal?

Estresse negativo: é o stress em excesso. Ocorre quando a pessoa ultrapassa seus limites e esgota sua capacidade de adaptação. O organismo fica destituído de nutrientes e a energia mental fica reduzida. A produtividade e a capacidade de trabalho ficam muito prejudicadas. A qualidade de vida sofre danos. Posteriormente a pessoa pode vir a adoecer.

Estresse positivo: é o stress em sua fase inicial, a do alerta. O organismo produz adrenalina que dá animo, vigor e energia fazendo a pessoa produzir mais e ser mais criativa. Ela pode passar por períodos em que dormir e descansar passa a não ter tanta importância. É a fase da produtividade, como se a pessoa estivesse “de alerta”. Ninguém consegue ficar em alerta por muito tempo, pois o estresse se transforma em excessivo quando dura demais.

Estresse ideal: é quando a pessoa aprende o manejo do estresse e gerencia a fase de alerta de modo eficiente, alternando entre estar em alerta e sair de alerta. Para quem aprende a fazer isto, o “céu é o limite”. O organismo precisa entrar em equilíbrio após uma permanência em alerta para que se recupere. Após a recuperação, não há dano em entrar de novo em alerta. Se não há um período de recuperação, então doenças começam a ocorrer, pois o organismo se exaure e o stress fica excessivo. O estresse pode se tornar excessivo porque o evento estressor é forte demais ou porque se prolonga por tempo muito longo.

ATIVIDADES QUE AJUDAM A LIDAR COM ESTRESSE

EXERCICIO FÍSICO: Caminhada, Corrida, Lutas, Natação…

DANÇA: Todas as modalidades

MEDITAÇÃO: É um processo mental de permanecer no momento presente, não no passado e nem no futuro, através de disciplina e exercícios contínuos.

YOGA: É a ação de unir mente e corpo através da disciplina e exercícios contínuos.

PSICOTERAPIA: É um processo psicológico que acontece através da relação entre paciente e o profissional. Essa relação é baseada em teorias e princípios psicológicos, com objetivo de mudança de pensamentos, sentimentos e comportamentos do paciente, afim de ajudá-lo através do auto-conhecimento e amadurecimento.

Espero que este texto ajudem a todos que estão passando por este mal,infelizmente, cada vez mais comum em nosso dia a dia.

Eu vou tentar utilizar alguma dessas dicas no decorrer da semana.

Semana que vem, conto para vocês o que consegui melhorar nos meus dias e aquilo cujo  percebo que está mais difícil

Beijocas apertadas

Dani.

OBS: Quem ainda não teve a oportunidade de ler o artigo anterior da Dra Fabiane, sobre a importância de cuidar da Saúde Mental, vou deixar o link aqui:

http://temnopedaco.com.br/voce-cuida-de-sua-saude-mental-saiba-da-importancia-de-cuidar-das-emocoes/

 

 

 

 

 

 

Referência Bibliográfica:

http://www.estresse.com.br/publicacoes/o-percurso-do-stress-suas-etapas/

http://www.saude.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=10

Compartilhar

Você cuida de sua Saúde Mental? Saiba da importância de cuidar das emoções…

Saúde Mental

Você faz check-up anualmente? Vai ao dentista? Vão aos demais médicos especialistas, academia, faz dieta etc

Com certeza tudo isso é muito importante! Mas queremos saber como está a sua saúde emocional?

QUE cuidado você tem com sua saúde emocional e psíquica?

O ser humano é formado pela junção de fenômenos biológico, psicológico, social e espiritual. Tudo reunido, como a engrenagem de uma máquina, cada peça depende da outra e a complementa para um perfeito funcionamento.

Fonte da Ilustração: Site Pixabay

É importante dizer que o conceito de saúde mental é mais amplo que a ausência de transtornos mentais ou doenças mentais.

Não existe uma definição exata de saúde mental, devido esse fenômeno ter a influência de questões culturais, a Organização Mundial de Saúde – OMS define saúde mental como a capacidade de cada um apreciar a vida e procurar um equilíbrio entre as atividades e os esforços para atingir a resiliência psicológica.

Fonte da Ilustração : Site Pixabay

Saúde Mental é o equilíbrio emocional entre a subjetividade, ou seja, meus sentimentos, traumas e registros de memória e as exigências ou vivências externas.É estar de bem consigo e com os outros.

Aceitar as exigências da vida. Saber lidar com as boas emoções e também com as desagradáveis: alegria/tristeza; coragem/medo; amor/ódio; serenidade/raiva; ciúmes; culpa; frustrações. Reconhecer seus limites e buscar ajuda quando necessário.

Fonte da Ilustração : Site Pixabay

Hoje, quero apresentar a psicoterapia como instrumento de avaliação e tratamento das nossas emoções.

A psicoterapia acontece através da relação de empatia entre paciente e psicólogo com objetivo de alcançar mudanças de comportamento e assim aumentar o bem-estar e equilíbrio psicológico de quem a procura.

É um momento de relacionamento íntimo de você consigo mesmo onde através do sigilo profissional você pode falar o que não consegue dizer a ninguém e, assim, refletir sobre seus pensamentos, sentimentos e decisões.

Fonte da Ilustração: Site Pixabay

Será que essa conclusão que esta tendo é resultado das suas lembranças, da cultura familiar??? Como isso se constituiu?? Nesse processo de reflexão você reconhece sentimentos, ressignifica, elabora e, assim, vai se transformando, amadurecendo e tornando-se protagonista de sua história, empoderando-se.

Fonte da Ilustração: Site Pixabay

Usando como analogia o processo de transformação da borboleta. Você inicia o processo psicoterapêutico de uma maneira e as mudanças internas que permeiam todo o processo, refletem em outros âmbitos de sua vida e são percebidas externamente. Não deixe de cuidar de sua saúde emocional! Procure um profissional para te conduzir nesse processo de transformação.

Site da Ilustração : Site Pixabay

Pense nisso e até a próxima…

Texto elaborado pela Dra Fabiane

 

Compartilhar